Tudo o que precisa de saber sobre CASTANHAS

Partilha

18919128_ykf2p

“Quem quer quentes e boas, quentinhas?
A estalarem cinzentas, na brasa.
Quem quer quentes e boas, quentinhas?
Quem compra leva mais calor p’ra casa”

“O Homem das castanhas” , Carlos do Carmo e Ary dos Santos


 

Chegou o mês de Novembro… Chegaram as Castanhas… Assadas, cozidas ou no forno… Que fruto tão desejado…

As castanhas assadas perfumam as ruas das cidades, dão as boas vindas ao frio e à chuva. Mas será que conhecemos este fruto tão apreciado nos dias cinzentos e chuvosos? Se a Natureza é perfeita e nos brinda com as caraterísticas nutricionais que mais precisamos em cada época do ano, que benefícios nutricionais podemos encontrar na castanha?!

As castanhas pertencem ao grupo dos frutos gordos e amiláceos, frutos que usualmente designamos por frutos secos.

Ao contrário dos restantes frutos desta época do ano (nozes, avelãs, amêndoas, amendoins, pinhão, entre outros) a castanha distingue-se destes pela sua composição nutricional ser maioritariamente composta por hidratos de carbono, enquanto os restantes são essencialmente compostos por gordura vegetal.

Por esta razão, a castanha durante longos anos foi utilizada na alimentação humana e animal, como fonte de energia, usada em substituição do arroz, massa, batata e outros. No período paleolítico, foi um alimento de elevada importância no fornecimento de energia ao Homem. Por esta razão, e tal como diz Carlos do Carmo, quem as compra leva mais “calor” (energia) para casa…

Erradamente, associamos a castanha a um elevado valor calórico, pela sua riqueza em amidos, pelo que é vulgar ouvirmos que deve estar excluída dos planos de emagrecimento… A castanha não é o mais calórico dos frutos de inverno. Por 100gr fornece cerca de 185kcal; enquanto todos os outros apresentam valores calóricos perto de 600kcal, para as mesmas 100gr. Esta caraterística deve-se à relação hidratos de carbono-gordura.

Relativamente à sua riqueza em hidratos de carbono, existem três aspetos que convém descrever: a presença de amido, que enriquece este fruto do ponto de vista energético, tornando a castanha num fruto de interesse para desportistas, especialmente no período pré-treino; hidratos de carbono complexos, que nutrem e que permitem conferir uma carga glicémica moderada, interessante para a obtenção de uma maior saciedade ao longo do tempo, ideal na estimulação da insulina, prevenindo a diabetes tipo II; e ainda a presença de fibra, fundamental para a regulação da função intestinal, na diminuição da absorção de gordura e açúcares, provenientes da alimentação, e ainda com ação pré-biótica, ou seja, agem como substrato nutricional para as bactérias intestinais benéficas. As duas últimas características tornam a castanha num fruto de elevado potencial na luta contra o cancro.

A Castanha é ainda rica em ação antioxidante e anti-inflamatória, por apresentar vitamina C (sendo o único fruto “seco” que fornece vitamina C) e vitamina E (importante protetor celular), o que vai aumentar as defesas do indivíduo para as doenças desta estação do ano, tais como as síndromes gripais, febre, constipações…

Os doentes cardíacos beneficiam ainda da presença de potássio e de ácidos gordos monoinsaturados, que permitem reduzir o mau colesterol (LDL) e aumentar os níveis de bom colesterol (HDL).

A não esquecer a presença de agentes fitoquímicos do grupo flavonoides, nomeadamente os  compostos fenólicos: estes mostram em estudos epidemiológicos uma relação inversa entre o aumento do seu consumo e a redução das taxas de incidência de doença cardíaca e carcinogénica.

A castanha é ainda rica em elementos nutricionais importantes ao funcionamento do sistema nervoso central, agindo de forma a nutrir o cérebro reduzindo a sensação de cansaço e esgotamento cerebral.

Castanhas assadas, quentes e boas, são ainda ideais para os doentes celíacos por serem isentas de glúten.


 

Como incluir as castanhas na alimentação do dia-a-dia?

 

  1. Puré de castanhas – 4 pessoas

 

Ingredientes

-1kg de castanhas peladas

-1 chávena de chá de bebida vegetal: trigo espelta, arroz ou coco

-1 colher de sopa de azeite extra virgem

-Sal e erva doce qd

-Pimenta e noz-moscada qb

 

Confeção

Coloque as castanhas a cozer em água, juntamente com uma pitada de sal e erva-doce.

Depois de estarem cozidas, escorra as castanhas.

Acrescente a bebida vegetal e o azeite. Desfaça as mesmas com ajuda de uma varinha ou robot de cozinha, até obter um creme homogéneo.

Acrescente uma pitada de pimenta e noz-moscada.

E está pronto a servir!

Excelente acompanhamento para carnes no forno e peixe grelhado.

 

  1. Crepe de Castanha, noz e goji – 4 porções

 

Ingredientes

-2 ovos

-1 chávena de chá de farinha de castanha

-1 chavena de café de noz partida

-1 chavena de café de goji desfeito

-1 colher de sopa de óleo de coco

-Pitada de sal

 

Confeção

Coloque os ovos e as farinhas num recipiente. Mexa ate obter uma pasta. Acrescente o óleo de coco e o sal.

Coloque uma frigideira antiaderente a aquecer. Pincele a mesma com um pouco de óleo de coco.

Coloque a pasta de forma a obter um crepe fino. Deixe cozer bem e vire, para que possa ficar bem cozido.

Depois de estarem feitos, pode comer simples, com canela ou pode acompanhar com queijo quark e frutas frescas variadas.

 

2016-11-10T14:52:52+00:00