Ervas aromáticas e especiarias

especiarias

As ervas aromáticas e as especiarias, são um conjunto muito variado de substâncias de origem vegetal, com propriedades e utilizações diversas. Pelo seu desprezível valor energético e pela riqueza em antioxidantes em algumas delas (canela, gengibre, cravinho, orégãos, entre outras), as especiarias e ervas aromáticas são, na culinária actual, um óptimo substituto do SAL e vão ajudar a tornar a sua alimentação rica em aromas, sabor e cor, permitindo ao mesmo tempo, que utilize uma menor quantidade de gordura.

Dicas para a sua aquisição:

  • As ervas aromáticas de folha fresca, devem ser compradas o mais perto possível da sua utilização, e em pequenas quantidades, para evitar a sua deterioração.
  • A aquisição das ervas secas ou especiarias, deve ser feita em locais de venda bastante movimentados, de modo a garantir que estas não se encontram nas prateleiras a muito tempo. Comprar embalagens pequenas, para não perderem o aroma.

Estas devem ser armazenadas em frascos bem fechados e protegidas da luz (armário, gaveta ou outro local escuro) para evitar a deterioração de cor ou sabor.

Recomenda-se a utilização de1:

Ervas AromáticasUtilização na Culinária
Aipo (caule e folhas; fresco)Sopas, estufados, guisados e cozidos de carne.
Alecrim (seco)Para aromatizar a água de cozedura de massa ou arroz.
Cebolinho (folhas; fresco ou seco)Saladas, pratos de ovos e de queijo
Coentro (folha ou em grão)Saladas, sopas, arroz, massa, ervilhas e favas.
Erva-doce (semente; seca)Castanhas cozidas. Aromatizante de bolos
Estragão (folhas ou raminhos; fresco)Saladas, aves, aromatizar vinagre.
Funcho Bravo (sementes, caules e folhas; fresco ou seco)Peixes (especialmente grelhados), caldo para cozer peixe.
Hortelã (folhas; fresca)Carnes (especialmente carneiro), sopas, saladas e ervilhas.
Louro (folhas; seco)Peixe, carne e caça, feijão, ovos e batata.
Manjericão (folhas; fresco ou seco)Carnes, peixes, sopas, massas e cozinhados com tomate.
Orégão (folhas ou em raminhos; seco)Saladas, pratos de peixe, massas e guisados/estufados.
Salsa (fresca)Saladas, pescado, carne, aves…
Segurelha (fresca ou seca)Pratos de feijão verde ou seco, ervilhas ou sopas de peixe.
Tomilho (fresco ou seco)Sopas, leguminosas, saladas, pratos de peixe e carne, guisados/estufados.

 

EspeciariasUtilização na Culinária
Cominho (grãos)Carne de porco
Baunilha (vagem seca)Leites aromatizados, batidos, sobremesas à base de leite, produtos de pastelaria e licores.
Açafrão (partes da planta não maduras e sacas)Sopas, pratos de peixe, caldeiradas e arroz.
Caril (em pó)Peixes, moluscos, aves, pratos com ovos, arroz, massas e molhos.
Pimenta (preta, branca, verde e vermelha)Todo o tipo de preparações culinárias
Canela (casca do tronco da caneleira; em bocados ou em pó)Doces com características regionais, produtos de confeitaria, licores e sobremesas.
Colorau ou pimentão (polpa do pimento doce maduro em pó)Guisados, ensopados, carne de porco, bacalhau e outros pratos de peixe.
Coentro (grãos)Marinadas, vinagres aromatizados, conservas de legumes e licores.
Cominho (grãos)Carne de porco, dobrada e licor.
Cravinho (botões da flor depois de secos)Pratos de carne estufados, molhos de pão e arroz.
Erva-doce, anis (grãos)Pães especiais, doçaria e bebidas.
Funcho (grãos)Sopas de peixe, saladas, bolos e licores.
Gengibre (rizomas da planta)Bebidas, cozinha chinesas, sopas de peixe, compotas e bolos secos.
Mostarda (grãos inteiros ou em pó)Pastas de queijos fresco, marinadas, carnes, pescado e molhos.
Noz-moscada (grãos desengordurados)Patês, conservas de carne, ovos, massas, quiejo, cogumelos, vinho quente, cerveja e brandy.
Paprika (pimento maduro, seco e reduzido a pó)Molhos, pratos de queijo, guisados, sopas de carnes.
Pimenta (preta, branca, verde e vermelha)Todo o tipo de confecções culinárias.
Piripiri (fresco ou maduro, ao natural ou conservado em azeite, seco em pó)Saladas, molhos, caldeiradas e carnes.
Zimbro (baga seca)Caldos aromatizados e marinadas.

Referências
1. Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto; Instituto do Consumidor. Guia-Os Alimentos na Roda. 2ª Edição. Lisboa; 2004.

2016-06-16T15:02:11+00:00